sábado, 31 de janeiro de 2015

Não jogue você fora!




  Eu era uma criança que assistia Eliana todas as manhãs e em um dia das crianças eu ganhei um kit da Eliana de fazer bijuterias.

   O meu primeiro pensamento foi fazer pulseiras para as minhas bonecas e no momento seguinte eu já tinha vendido um colar para uma amiguinha. Depois umas meninas chatas da escola chata fez a mesma coisa. 

  Foi assim que eu me tornei empreendedora e foi assim que eu descobri que as pessoas imitam boas idéias e é preciso um diferencial para se dar bem.

  Depois a coisa ficou mais séria, negociei cestas de café da manhã depois de ganhar 50 reais do meu pai e comprar material para monta-las, com o lucro das cestas eu comprava biscoitos e roupinha de Barbie.

  Camarim Fashion, desenho na unha, pintura facial em crianças, potinhos e enfeites de biscuit, All Star customizado, a lista de criatividade e negócios próprios é grande e me trouxe experiência.

  Minha escola é a melhor do mundo, a vida. 

  E um dia eu quis fazer pão de mel e queimei tudo. Quis fazer brigadeiro e não acertei o ponto. Um dia eu consegui, outro dia apareceu a primeira encomenda de docinhos e agora eu sinto a mesma felicidade a cada passo conquistado, como se fosse a primeira venda de pulseirinha do kit Eliana.

  Talvez eu tenha errado muito mais que acertado porque eu não estou rica e ainda preciso trabalhar em outras funções e lugares e estudar e tudo mais para conseguir "segurar a onda". Talvez o dinheiro que eu tenha na minha conta bancária não significa que eu já não venci ou vou vencer. 

  Talvez a felicidade more dentro da gente, quando nos permitimos arriscar sem medo de errar, só para se sentir realizado, em algum momento, nem que seja por alguns minutos.

  Porque dizer isso tudo? simples, cansei de ver gente parada achando que não pode porque é pobre, porque é velho, porque ta cansado e porque Deus quis assim. Não culpa Deus não que ele não te criou e te deu uma vida para você acabar com ela, dê orgulho a ele faz favor!

  Empreendedorismo não é EXATAMENTE ter uma empresa, é uma atitude nos caminhos que você escolhe ou acaba tendo que seguir. É cabeça erguida, é brilho nos olhos, é saber de impor para o seu patrão porque nem sempre ele esta certo, é coragem quando esta com medo, é dor no joelho, é não ser conformado.

  É sonhar e não ficar parado.

  Você tem permissão para chorar mas não deve se permitir desistir, nunca.



Para ler ouvindo:




sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Amizades não são negócios





  E normalmente misturar uma coisa com outra não dá certo. Ainda mais se a pessoa só lembra que você existe quando precisa ou só pergunta se você está bem para te colocar em roubada.

  Ajudar é ajudar, não tem essa de tirar vantagem, se é para agir dessa forma não iluda a pessoa sobre parceria, irmandade, equipe ou seja lá o que mais possa ser inventado. Não adianta  desaparecer no primeiro problema. Franqueza é sempre o melhor caminho ou então você recebe exatamente aquilo que oferece, mais cedo ou mais tarde.

  Influenciar pessoas para o bem é maravilhoso e dificilmente encontramos alguém que faça isso sem querer tirar nenhuma vantagem para si mesmo. Dificilmente encontramos alguém que doe o seu tempo para ouvir de verdade o que o outro tem a dizer. Influenciar somente para benefício próprio causando ainda mais problemas e dificuldades na vida dos outros não é só errado, é pura maldade.

  Errar todo mundo erra mas parece que a cada dia que passa pedir desculpas virou atitude rara porque as pessoas não conseguem mais assumir erros, o egoísmo é tão grande que não existe mais bom senso.

  Mas é assim que aprendemos né? convivendo com esperteza boa e ruim. 


"Eu vi de perto o que neguinho é capaz por dinheiro, eu conheci o próprio lobo na pele de um cordeiro. Infelizmente a gente tem que tá ligado o tempo inteiro, ligado nos pilantra e também nos bagunceiros e a gente se pergunta porque a vida é assim, é difícil pra você e é difícil pra mim."


quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Não resgate contatos se você não tem mais nada a dizer.





Primeiro que é uma perda de tempo danada, tempo realmente é dinheiro e se você não levar a conversa para frente simplesmente não fale nada. Não adianta se sentir obrigado a falar com alguém se já não existe mais nada a ser dito, algumas vezes isso acontece então não tem essa de culpa, é a situação.

Eu deveria ter aprendido a muito tempo mas "sacomoéné", nessas horas eu percebo que não sou tão firme quanto acho que sou, ás vezes eu faço papel de boba e alguns minutos preciosos são jogados de lado para dar lugar a uma Luana princesa da Disney, cantarolando e achando que a vida se resolve com simplicidade, basta inventar uma música boba, cantar e tudo bem.

Eu tenho uma porção de boas histórias para contar mas algumas delas não tem um final interessante ( nem o meio), algumas dão sono a muito tempo.

Tentarei parar com isso, essa coisa de ficar querendo evitar briga ou raiva alheia não adianta. 

Quer saber? se afogue nas mágoas ou aprenda a nadar em todas.


segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

E agora hein?




Me falaram que você não existia, contaram que era só ilusão.

Devo confessar que tenho um medo danado dessa coisa de sentimento, esse envolvimento doido que deixa todo mundo bobo e vai tirando um pouco da gente para doar ao outro. Eu sou medrosa mesmo porque meu coração é cheio de band-aid e nem é aquele colorido.

Mas ai você veio querendo saber se o livro que eu estava lendo era legal e ai meu amigo, já era. 

Tá, relaxa, não estou falando que me apaixonei por você naquele exato momento, a pergunta não foi nada demais, o seu olhar profundo e verdadeiro que foi demais para o meu medo. 

Estou cheia de cuidados para não falar demais, fico segurando a empolgação e fingindo que o seu jeito de rir e o seu cabelo bagunçado é super comum aos meus olhos mas...nossa...

E agora hein? para onde vamos assim tão inocentes sobre as coisas ruins que chegam? é que eu nunca pensava na parte ruim e depois de tanta revolta começamos a querer levar em conta isso também. Acontece que as suas manias me irritam pra caramba, eu continuo defendendo as causas dos porquinhos e você insiste em pedir pizza de bacon.

Eu continuo aqui depois de tudo. 


sábado, 17 de janeiro de 2015

Reorganizar.




 Eu não sou do tipo que guardo mágoas, priorizo a paz da minha mente, mas sou do tipo que reorganizo o lugar de cada um na minha vida.

  Dizem que isso é excluir, até pode ser em alguns casos, mas na verdade é só não se deixar levar por algumas atitudes das pessoas e enxergar melhor o que os outros fazem por mim também. 
  Eu sei bem o que é exclusão porque fiquei extremamente longe das pessoas mais "populares" do colégio e sabemos que essa hierarquia atinge em situações tão bobas mas que parecem tão importantes naquela época.
  Perdi as contas de quantas vezes eu fui contra a minha vontade só para agradar aquela pessoa que fingia ser minha amiga, só para tentar ser mais parecida com aqueles que pareciam ter vidas mais interessantes que a minha. 

  Hoje eu do tanta risada lembrando.

   Algumas vezes agimos pelo lado mais fácil achando ser o certo.

  E então agora a coisa é assim: quer me entender? ótimo, ficarei grata e extremamente feliz por isso. Vai ser complicado sabe, mas sou uma boa amiga e disso eu não tenho dúvida alguma. Sou do tipo boba que escreve cartas ainda e fica testando os embrulhos de presente. Do tipo que nem sempre pode sair ou está afim mas que tem no coração aquele desejo enorme de felicidade para as pessoas. Do tipo que respeita o outro e não olha só pra mim. Do tipo que não fica inventando histórias e intrigas porque eu tenho horror a brigas.

  As prioridades são tudo que nos fazem bem ou que precisamos e nesse mundo pessoal, o que mais precisamos é de lealdade em todos os momentos.




sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Eu não escrevo somente sobre a minha vida.




  Isso é o que todo mundo acha mas não é assim. Sinceramente eu nem sei se eu conseguiria, sempre, escrever sobre mim ou coisas que acontecem comigo o tempo todo. Tem dia que eu realmente não estou afim e eu nunca mantive um diário certinho, ficava dias sem escrever nada porque parecia uma repetição infinita de coisas chatas do cotidiano.

  Quando faço uma reflexão e etc, ok. Textos sobre relacionamentos já é outra história.

  Eu não sei porque mas as pessoas gostam muito de contar suas vidas para mim. Talvez eu seja uma boa ouvinte ou talvez também porque não julgo ninguém, minha opinião sempre aparece com cuidado e quando eu acho que é possível. 
Naturalmente olham para mim e me contam as coisas.

  Então, em um momento qualquer, palavras aleatórias começam a aparecer e eu fico anotando em algum papel. Um título, uma frase, uma música. Depois surge algo e eu posto ( depois de ler e reler muito, sou perfeccionista). 

  Ainda bem que não é tudo sobre mim. Tem complicações demais e eu já tenho muitas, tem algumas histórias que eu dispenso viver.

  Uma coisa eu posso dizer: se eu escrevo sobre alguém e esse alguém for bem esperto, provavelmente vai saber que é ele.

  Outra coisa: a maioria sempre erra e fica se enxergando em muita coisa quando a minha cabeça estava bem longe.

  Resumindo: é melhor não encasquetar!



Sugestão musical do dia:


sábado, 3 de janeiro de 2015

DIY: Renovando a mochila!

  Tenho uma mochila de um material que eu não sei se é couro mesmo ou é fake, só sei que ganhei a um tempinho e gosto muito dela pela praticidade. Estava tudo indo até a minha querida gata, Michelle Obama, resolver afiar suas unhas na coitada da mochila, deixando algumas marcas.

  Ainda tem a questão dela estar meio apagada já, sem graça sabe? então comecei a pesquisar algumas mochilas para comprar. O problema é que eu não estou podendo ficar gastando a toa e eu sabia que não era algo assim tão necessário.

  O que fazer então? renovar!

  Nada que uma customização não resolva.

  Lembrei daquela série sobre a vida de adolescente da Carrie ( personagem do Sex and The City) e resolvi me inspirar. No primeiro episódio do Diário de Carrie, a bolsa que era de sua falecida mãe acaba manchando com esmalte e então ela resolve utilizar o mesmo material para deixar a bolsa com uma cara mais divertida.

  Depois de uma pesquisada minha mochila se transformou.

Antes

Durante

Depois


  Agora ela esta mais alegre, estranha, única, colorida e nem da para perceber o estrago que a Michelle Obama fez, amei!

  Tem alguma peça velha encostada por ai? customização nela!


quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Look inspiração: Keds

  Um dos presentes de natal que comprei para mim mesma foi um tênis super confortável e versátil que faz sucesso há muitos anos, o Keds.

  Eu queria um tênis que não fosse muito pesado para usar no dia a dia, principalmente com legging ou calça jeans skinny, depois de uma pesquisada lembrei de um Keds que eu tive quando era criança, todo branquinho e era da Turma da Mônica hahaha, fui atrás de um de tecido.

  E se tem uma coisa que eu adoro fazer é procurar inspirações de looks para usar com algo que comprei recentemente, fui lá no Lookbook e separei algumas inspirações para todos os estilos.

  Aliás, looks do mundo todo :D




Natalie Ast


Tania H 



Larissa May



Hayley D




Joana



Patricia Prieto 





 Le.J






Glena Martins






Amparo Zepeda




Carly Maddox
Lookbook