domingo, 1 de março de 2015

Desde 1991.



  Oi, blz?

  Acabo de completar 24 anos, nasci no ano de 1991 umas 19:00 aproximadamente em um hospital que já fechou e minha mãe estava sozinha (com os médicos, óbvio) e eu chorei pra caramba e não deixei ela dormir por muitos dias depois porque implicância é o meu forte.

  Minha história começou assim, se baseando na confiança entre o médico e a minha mãe porque não tinha mais parente algum lá, nasci pra ser meio assim, aprendendo as coisas sozinha e na dor.

  Não cresci muito na altura e quem me olha acha que eu sou boazinha e boba mas não, sou chata, tenho uma personalidade forte e complicada e não tenho medo de barata ( contanto que ela não voe). Quando eu não gosto de algo eu falo, eu mudo, eu atravesso a rua. Fico doente com facilidade e eu aguento, é problema meu.

  Você não vai me ver na academia mas eu gosto de salada pelo menos. Eu simplesmente não me importo mais com as minhas pernas finas e meu peso pena, nem com meu nariz grande e as minhas alergias, eu sou isso, mais um problema meu.

  Em menos de 1 ano minha vida virou de ponta cabeça e eu ainda não me acostumei totalmente. Eu nunca fui mimada e normalmente eu ouço mais não do que sim. Aprendi ao menos valorizar mais os sentimentos e as pessoas que realmente valem a pena.

  De tudo isso eu tiro uma lição: existe sempre uma dor e uma alegria para amenizar. Eu tenho pessoas na minha vida que são como luzes quando as estrelas parecem não brilhar tanto, escuridão? nem conheço.

  Continuo teimosa pra caramba acreditando que todos, TO-DOS os meus sonhos já são realidade, porque eu não luto para o que já foi e sim para tudo que ainda vai ser.